Avançar para o conteúdo principal

Mensagens

A mostrar mensagens de 2008

Para quem deseja conhecer o outro lado do palco.

Hoje recebi este mail espero que seja de interesse para quem pretende conhecer o outro lado do palco.
Esta é uma iniciativa do Cegada Grupo de teatro.

"Oficina de Teatro
- Datas: •23 Outubro a 13 de Dezembro (Carga horária: 62h)
- Horário: •3ª, 5ª feira, das 21h às 23h e sábados das 15h às 19h
- Módulos e Formadores:
•Historia do Teatro - Carlos Melo
•Respiração e voz - Luís Lamancha
•Ritmo e dança - Cláudia Ambrósia
•Técnicas de representação - Mauro Corage
•Preparação do Actor - Mauro Corage
•Memoria sensitiva - Mauro Corage
•Maquilhagem e caracterização - Carla Freire
•Técnica da máscara - Vasco Lavado
•Trabalho sobre o texto - José Teles
•Apresentação do trabalho final – CEGADA Grupo de Teatro Destinatários
•A Oficina de Teatro destina-se a um público-alvo com a idade mínima de 16 anos.

Inscrição:
•As inscrições devem ser feitas até 18 de Outubro 2008, através de Ficha de Inscrição disponível no Espaço Cegada: Pctª 25 Abril, sala 4 Alverca do Ribatejo (em frente ao Centro Comercial Parque)
Ou …

Contrasenso 11 anos a fazer sonhar...

O Grupo de Teatro Contrasenso está de parabéns pelos seus onze anos a serviço do teatro amador.
Este grupo começou as suas primeiras actividades na Escola Secundária D. Dinis, no Grupo de Teatro D. Dinis.
Este grupo foi fundado fundado oficialmente a 9 de Julho de 1997, como grupo de teatro amador e sem fins lucrativos.
Contam no seu curriculum mais de uma dezena de peças de teatro dos mais variados géneros.
A primeira peça data de 1997 com o nome de "Déjà Vú", a sua última peça foi a reposição da comédia "Coita D’ Amor".
Quem os conheçe, sabe que não deixam as artes de palco em mãos alheias, pois o seu habitual encenador e também autor das peças, tem uma maneira muito particular e algo excêntrica, conseguindo sempre surpreender quem assiste aos espectáculos.

Deixo aqui os parabéns ao Grupo e que continuem a honrar as artes de palco.
Podem ver mais informações sobre este grupo nas suas páginas:


http://www.contrasenso.com/
http://grupodeteatrocontra-senso.blogspot.com/
http…

"Vida ao quadrado"

O excerto do texto que aqui deixo faz parte da peça "Vida ao quadrado" e conta a história de quatro mulheres cada uma com problemas diferentes.
A personagem principal (presa 1), é uma adolescente (mãe solteira), toxicodependente, presa por acusação de homicidio e com problemas de esquizofrenia (relacionadas com o consumo de droga).
A Guarda prisonal é uma mulher amargurada pela perca da filha, de ressentimentos guardados e algo bruta.
A presa 2 é uma mulher paranoica com a sua condiçaõ de prisioneira, quer controlar tudo e todos.
A advogada é meia-irmã da personagem presa 1, apesar de ser advogda de defesa faz de tudo para arruinar a vida da irmã, a mando do pai.
Esta peça retrata algumas situações bastante reais, como a inveja, a toxicodependência, a gravidez na adolescência, entre outras situações.

"Presa 1 – Estive a sonhar com o sol, com as nuvens, elas pareciam algodão doce. Vi-te correr para mim, tinhas tantos caracóis... e eu afagava-te o cabelo. Tu sorrias, depois fug…

Amantes da Noite...

O Grupo de Teatro do Ginásio Clube de Queluz apresenta a peça "Amantes da Noite" no Salão Nobre d’Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Queluz.

"Clown e stripper ficam ao relento… Sentados nos degraus do Olimpo dos sonhos, recusam terminantemente a prisão do vazio, vazio que preenchem na embriaguês dum riso pueril até a garrafa de whisky se esvaziar em sucessivos goles estapafúrdios.
O clown, num gesto técnico - “Música Maestro!”

- solicita à Lua intrusa os acordes de uma canção de mar.
Acordes que estimulam a imaginação destes errantes noctívagos
– ela, por magia das brisas, aparece vestida de corais, executando movimentos de ventre suaves. Ele, improvisando, fá-la deslizar-se através de uma a cadeira de escritório, que, provavelmente, alguém havia deitado à rua, ao lixo ou ao acaso do espaço nocturno, num momento em que a sua mente se desburocratizou.
- sabe-se lá! - se libertou do espartilho normativo dos comportamentos ou quem sabe? - no instante em que perd…

Abril... (parte 2)

Na continuação do texto anterior, deixo aqui uma segunda parte desta peça, falando sobre os "famosos" interrogatórios que a PIDE fazia...

(Narradores trazem uma cadeira e colocam-na no centro do palco)

- Ser ou não ser, já escrevia Shakespeare.
- Eis a questão?
- Qual?
- A questão fundamental do nosso viver.
- Da nossa maneira de estar perante a vida...
- ... e perante a sociedade tão castradora ontem...
- ... tal como ainda hoje.
- Usar o amarelo...
- ... assim como o Laranja ou o vermelho...
- ... sem que nos apontem um dedo acusatório.
-Ter direito a vida própria, fazer opções, orientações...
- ... sem que para andar na rua...
- ... tenhamos que olhar para um lado...
- ... e para o outro, com medo que a escuridão dos enfatiados...
- ... nos venha absorver todas as nossas forças e vontades.

(Sentado no público está a personagem António, surgem dois homens vestidos de gabardinas escuras e chapéus, focos de luz apontam para as personagens)

Pide 1 – Ó amigo, você chama-se António Alves, não …

Abril...

Neste mês que é o de Abril, festeja-se a liberdade... de expressão, festeja-se todas as liberdades.
Por isso deixo aqui um excerto de um texto que faz parte de uma peça para ser feita em Abril.

"(No palco está um cenário a preto com um cravo vermelho pintado, luz negra entre cada cena, narradores vestidos de pretos, eventualmente com um apontamento de vermelho, umas luvas por exemplo)

- Hoje, vamos festejar Abril...
- ... hoje vamos festejar a vida, a tua, a minha...
- ... a nossa, a vossa liberdade de poder afirmar eu sou...
- ... eu e estou de bem com a vida.
- Não há cá vai - se andando, aqui, só se vai estar sempre bem.
- Porque é bom poder dizê-lo aos sete ventos...
- ... gritar para quem quiser ouvir...
- ... adoro viver!
- Sem repreensões, sem dúvidas que exista alguém na sombra de cada esquina, que coloque em dúvida quem somos e o que fazemos.
- Esta, é a nossa missão esta noite, ainda que por vezes impossível...
- É sempre bom poder sonhar com um mundo melhor...
- É sempre bom poder s…

Coita d' Amor - Grupo de Teatro Contrasenso

O Grupo de Teatro Contrasenso já estreou mais uma peça, desta vez é uma reposição da peça "Coita d' Amor" , uma "comédia inspirada no Cancioneiro Geral de Garcia de Resende.
Donzilia, uma sofredora dama medieval, vê o seu amado partir para a guerra.

Só e desgostosa, depara-se com uma série de cavalheiros que disputam o seu amor. Apaixona-se por todos, mas a sua mãe parece não gostar muito da ideia.


Contudo, o pior está para vir, quando o seu amado voltar da guerra."


A peça estreou com casa cheia a 5 de Abril e ós seus próximos espectáculos dia 11 e 12 de Abril pelas 21.30 no Auditório Fernando Pessa, no Espaço Municipal da Flamenga em Lisboa.
Mais informações in http://grupodeteatrocontra-senso.blogspot.com/

Consciências Teatrais...

Este é o primeiro pos't do blog "Consciências Teatrais", como já devem ter percebido, este blog era o antigo cantinho, do Grupo Tetro G.B. 22 Maio da Idanha, aqui vai continuar a espreitar o que fizemos, mas daqui para a frente, este blog deixa de pertençer a um Grupo de Teatro e passa a pertencer à comunidade teatral, principalmente à amadora.
Junte-se a nós nesta aventura!

Cumprimentos teatrais...

Hoje dia Mundial do Teatro...

...quero agradecer em meu nome pessoal todos os comentários deixados neste blog, pelo facto de o Grupo ter terminado os seus trabalhos.

Quero pedir a todos os que conheço que gostam de teatro e que fazem teatro amador que continuem a gostar, a lutar e a honrar esta arte.
Fazer Teatro é uma honra, dar asas a personagens diferentes que nada tem a ver connosco é um prazer, escrever para teatro é um sonho.

Agora apenas quero deixar aqui um apontamento especial à pessoa "Yzabell", que não faço a mínima ideia quem seja, a si apenas lhe quero dizer que sempre sube que trabalhar numa colectividade de bairro era complicado, que sempre sube que por amor à arte era preciso engolir muitos sapos (acho que engoli os bastantes), mas desta vez o Grupo não acabou por causa de nenhuma destas coisas, acabou sim, porque a vida pessoal das pessoas que ainda faziam mexer o Grupo, se modificou.
Quanto ao projecto dos cinco anos de que fala, não sei do que se trata, apenas sei que da 1ª vez que sai do…